quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sobre Cura para o Mal de Alzheimer

0

Faltam palavras para descrever as mudanças na rotina da família que acolhe o portador de Alzheimer, e por isso tão importante se faz a terapia para todos os envolvidos.

Mas a pergunta que nunca quer calar é: Existe cura para o Alzheimer?

No momento existem apenas estudos e especulações sobre o tema, já com testes em animais e humanos, mostrando ideias e abrindo caminhos para chegar à tão desejada cura desse mal.

Segundo uma matéria publicada no site History Channel, estudos afirmam que as memórias não são apagadas da mente do portador de Alzheimer e sim, temporariamente desligadas. O ponto chave é descobrir a forma de refazer as conexões perdidas para que o portador de Alzheimer volte a lembrar das memórias já armazenadas no cérebro.


Neste outro site também é possível ler sobre o avanço desse estudo citado anteriormente, onde através de novos estímulos, foi possível anular o esquecimento do Alzheimer em um caso isolado, o que traz esperanças aos portadores desse mal. Porém ainda há muita discussão sobre a realização de testes similares em humanos.

Já no site Terra há uma notícia que cientistas americanos estudam que uma célula fundamental para os estímulos imunológicos em pleno funcionamento em um corpo jovem, modifica sua ação quando o corpo envelhece e produz certa proteína, que prejudica a eficiência dessas células.

Baseando-se nesse estudo, os cientistas propõem que uma droga inibidora dessa proteína poderia manter as células funcionando de maneira adequada para diversas tarefas, incluindo o combate aos danos em nervos celulares como acontece no Alzheimer.

Porém, mais próximo da ideia de cura, também existe a notícia de um médico brasileiro que conseguiu realizar uma cirurgia de sucesso em um paciente de 77 anos, portador de Alzheimer, onde foi implantado um estimulador cerebral com função de aumentar o hipocampo, que é o local no cérebro responsável por controlar as memórias.

Nesse caso há relato de melhora significativa em curto espaço de tempo, porém os estudos ainda em fase inicial não conseguem atender a grande demanda dessa doença atualmente.

Para os que estão gerenciando a situação agora, o importante é consultar periodicamente a equipe médica especializada e ter atendimento psicológico regular, que visa identificar o estágio da doença, estimular o portador à continuar ativo a fim de estacionar o progresso desse mal e também para apoio familiar, tornando a estrutura de apoio ao portador de Alzheimer completa e eficiente.

Eva Strum é psicóloga e executa Avaliações Neuropsicológicas, além de acompanhamento psicológico para portadores de Alzheimer e familiares.Entre em contato com Eva Strum através de:Skype: @EvaStrum
Telefone: (11) 3667-7685

E-mail: strumeva@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário

Fale conosco